sábado, junho 06, 2009

Outras palavras

XXI

É fácil transformar as paredes de Lisboa
em vidros translúcidos

Basta percorrer com veias internas
as vozes dos rostos nos passeios

ou tocar ao de leve os rastos dos olhares
com um coração sem forma

Eduardo dos Santos Nacimento
“Pedaços do meu Tempo”
(VI Prémio de Poesia Cidade de Ourense, 1985)

3 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Ô, Zé! Mesmo que o tempo passe, os amigos que temos apreço nós sentimos falta quando somem, mas sabemos que mais dias ou menos dias irão aparecer. Não vai me dizer que o 13 também é um dia especial pra você!?! Então bendigamos a esse dia todos os meses.

Vendo as fotos da sua postagem anterior, me lembro de ter ido a este lugar. Vista maravilhosa, frio demais e com todos comentando um acidente que tinha ocorrido uns dias anteriores. Lá é alto, rapaz!

Abração, até!

Jota Cê

Efigênia Coutinho disse...

ou tocar ao de leve os rastos dos olhares com um coração sem forma...

QUE COISA MAIS LINDA LER ESTÁ FRASE DESTES VERSOS POSTADO POR VOCÊ... SAUDOSAMENTE,
EFIGÊNIA COUTINHO

Multiolhares disse...

Só poderemos mudar algo, quando começarmos a ver os outros com os olhos do coração

Namastê